Alunos de Gestão Pública (GPDES-UFRJ) apresentam trabalhos sobre a prostituição

No segundo semestre de 2014, oferecemos a Oficina “Novas abordagens a uma velha profissão” para os alunos do curso de Gestão Pública para o Desenvolvimento Econômico e Social-GPDES-UFRJ. Ao longo do semestre, discutimos a prostituição através da perspectiva do trabalho; dos direitos humanos; dos direitos civis; dos direitos sexuais; dos textos de médicos higienistas e engenheiros sanitaristas; olhamos para ela também através do planejamento urbano de cidades como Paris, Rio de Janeiro e Campinas e suas respectivas políticas de segregação da prostituição segundo o paradigma e a ideologia vigente em cada época; discutimos a prostituição no campo da saúde e analisamos as campanhas oficiais, elaboradas segundo os variados conceitos que orientaram as ações de prevenção (grupo de risco, comportamento de risco, vulnerabilidade), assim como a contestação dos mesmos pelos movimentos sociais, sobretudo aqueles engajados na despatologização de identidades sexuais e no reconhecimento de direitos sexuais.

Foram 4 meses de sala de aula repleta de alunos atentos, entre inscritos e não-inscritos. Todos interessados em discutir um tema e pensar a gestão pública através dele, das controvérsias, das lutas e disputas que o constituem e que plasmam, no próprio fazer, sujeitos coletivos e – por  que não? – gestores públicos sensíveis à essa dinâmica da vida social.

Ao longo desses 4 meses pudemos contar com a participação de colegas prostitutas, professores e pesquisadores que se dedicam a olhar o universo das trocas econômico-sexuais e seus variados contextos à luz de interesses e abordagens diversos. Laura Murray (ABIA, Columbia University); Ana Paula Silva (UFF); Thaddeus Gregory Blanchette (UFRJ); Julie Ruvolo (Red Light rio Project); Diana Helène Ramos (IPPUR-UFRJ); Márcio Senra (Procurador da Fazenda, UERJ); Indianara Siqueira (Transrevolução) e, em especial, Joyce Oliveira (Davida) estiveram lá, em sala de aula, de corpo e alma, para animar esse debate e contribuir para a formação de gestores públicos sensíveis e, sem dúvida nenhuma, mais propensos a tornar a dúvida uma fiel companheira de viagem, sobretudo quando se tem o “público” e a “mudança” como objetos constantes de reflexão. Gabriela Leite, convidada para uma palestra no IPPUR, em 2013, também se fez presente dessa vez, em video e nas lembranças que imprimiu nos corações e mentes de alunos que tiveram a ocasião de lhe ouvir naquele então e que estavam lá, agora em 2014, inscritos nessa disciplina e certamente interessados em desenvolver ideias tão bem plantadas por ela em seus pensamentos.

Quero agradecer a todos os colegas e, sobretudo, a todos os alunos que, inscritos ou não, estiveram no módulo 5 e, eventualmente, no auditório do IPPUR, todas as quintas-feiras, para construir um espaço muito fecundo de reflexão e de crítica, um espaço raro para o debate de ideias livres e capazes de fazer tremer as mais consolidadas verdades acerca da vida e, sobretudo, da vida do Outro. Fomos muito além do Bem e do Mal e, por isso, eu gostaria de agradecer a todos, mais uma vez, por essa incrível experiência reflexiva e criativa antes de deixar aqui disponível, aos interessados, os slides apresentados pelos grupos ao final da nossa Oficina.

Bravo !

Grupo “OFICINA_campanha saúde“: Arthur Reis, Bruno Abi, Caroline Mansano, Flávia Castro, Danielle de Luca, Gabriela Moura, Gabriel Cassano, Giselle Perissé, Marina Pereira, Pedro Paulo,Victor Guimarães.

Grupo “OFICINA_política pública“: André Oliveira, Aline Coimbra, Affonso Gomes, Brenno Albuquerque, Elissa Tourinho, Jorge Eduardo, Luana Fontes, Julliana Aragão, Gabriel Prudencio, Ully Sant’Anna, Tatiana Torres.

Grupo “OFICINA_projetos de lei“: Guilherme Alef, Dayana Rosa, Luanne Garcia, Larissa Machado, Adriana Lomanaco, Andrezza França, Bruno Couto, Raul  Nicacio, Carina, Luiz Felipe Espinola, Alice Barros, Saulo Portugal.